Professional music notation services, only on FIVERR!

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Capítulo 13 - ANDAMENTO

ANDAMENTO

Por definição, Andamento é a velocidade com que a música é executada. É indicado tradicionalmente por palavras de origem italiana, pois foram os italianos que, no princípio do século XVIII, designaram os termos para ele. Estes termos são escritos no início do trecho cujo andamento deve ser indicado, logo acima da pauta musical.



Existe um aparelho que indica, com exatidão absoluta, o andamento. Esse aparelho é o metrônomo. A figura abaixo ilustra o mais tradicional, normalmente feito em madeira e com um mecanismo como o de um relógio e que depende de corda, como os relógios antigos. Hoje entretanto, encontram-se os eletrônicos que além de terem essa funcionalidade também são afinadores.



Nesse da figura acima, no pêndulo há uma graduação, bem como no corpo do aparelho. O contrapeso é ajustado na altura da haste e faz com que ela tenha um andamento mais rápido, quanto mais próximo à base e mais lento, quanto mais na ponta é posicionado. A velocidade do pêndulo é normalmente graduada de 30 a 230 bpm (batidas por minuto).

Geralmente a marcação metronômica nas partituras é feita da seguinte maneira:



Ou seja: 120 semínimas por minuto, e 96 colcheias pontuadas por minuto.

O metrônomo foi inventado no princípio do século XIX, pelo mecânico austríaco Johann Nepomuk Maelzel. Por isso, até bem pouco tempo as indicações metronômicas nas partituras eram feitas assim:


Sendo que o M.M. é a abreviatura de "Metrônomo Maelzel".

Maelzel era amigo de Beethoven, que foi o primeiro compositor a usar indicações metronômicas. Então, toda indicação encontrada em música anterior a Beethoven deve ser atribuída ao revisor da obra e não ao seu autor.

Os andamentos variam desde os bem vagarosos até os muito rápidos.

Eis os termos mais usados:

• Largo, Adágio, Lento = 40 a 60 bmp

• Larghetto = 60 a 72 bpm

• Andante = 72 a 84 bpm

• Andantino, Alegretto = 84 a 120 bpm

• Allegro = 120 a 150 bpm

• Presto = 150 a 180 bpm

• Prestissimo = 180 a 208 bmp

Esses andamentos podem ainda ser graduados assim:

• Assai = muito

• Con moto = com movimento

• Ma non troppo = mas não muito

• Molto = muito

• Mosso = movimentado

• Poco = pouco

• Quase = quase

• Troppo = muito
Exemplos disso:

  • Andante con moto

  • Allegro ma non troppo

  • Andantino quasi allegretto

Além disso, aos andamentos costumam somar-se ainda palavras que exprimem o caráter da música.

• Affetuoso = afetuoso

• Con anima = com alma, com disposição

• Con brio = com brio, com entusiasmo

• Con spirito = com finura

• Giocoso = jocoso, irônico

• Risoluto = resoluto, decidido

• Scherzando = brincando

• Tranquilo = tranqüilo

• Sostenuto = sustido, sustentado

Exemplos disso:

  • Andantino affetuoso

  • Allegro con brio

  • Allegretto scherzando

Ou ainda, os andamentos indicados com nomes de danças:

• Tempo di polca

• Tempo di mazurca

• Tempo di waltzer

• Tempo di marcia, etc.

Em muitos casos o compositor não quer fixar com rigidez o andamento, preferindo deixar ao intérprete certa margem de escolha. Nesse caso, a indicação metronômica é feita da seguinte maneira:



Sendo assim, eis os valores de andamento (em notas por segundo):

48 = 4 semínimas a cada 5 segundos

50 = 5 semínimas a cada 6 segundos

60 = 1 semínima por segundo

72 = 6 semínimas a cada 5 segundos

80 = 4 semínimas a cada 3 segundos

96 = 8 semínimas a cada 5 segundos

100 = 5 semínimas a cada 3 segundos

120 = 2 semínimas a cada 1 segundo

180 = 3 semínimas por segundo

E assim por diante.

MUDANÇA NO ANDAMENTO

No decorrer da música o andamento pode sofrer alterações e elas são indicadas pelas seguintes palavras:

DIMINUINDO A VELOCIDADE









AUMENTANDO A VELOCIDADE







Após qualquer modificação do andamento, indica-se a volta à velocidade inicial por uma destas expressões:

A tempo

1º tempo

In tempo

Tempo 1º

Comme prima

Tempo primo


COMPASSO / ANDAMENTO / RITMO

Cuidado para não confundir de maneira alguma esses conceitos. Os três conceitos existem simultaneamente em qualquer música, entretanto guardam suas diferenças:

Compasso: é a divisão da música em pequenas partes de duração de tempo.

Andamento: é a velocidade com que a música ou parte dela deve ser executada.

Ritmo: é a maneira como se sucedem os valores na música.


No exemplo acima:
Compasso: 2 por 4;
Andamento: 120 bpm
Ritmo:

21 comentários:

  1. Sou o primeiro a comentar heim.........rsrs
    Muito bom esse capitulo, sempre tive essa duvida na relação dos nomes dos andamentos com sua velocidade em tempo real. Agora eu sei!!
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Oi adoro seus artigos
    mas tenho uma dúvida não é referente ao assunto deste artigo ok?
    estava solfejando o pozzoli décima quinta série, e o primeiro compasso éanacruse , a fórmula de compasso é 2 /4 mas neste primeiro compasso só aparece uma semi colcheia , como vou solfejar isso? se eu for bater a mão essa figura só ocupa 1/4 da batida e o resto desta batida complemento com o compasso seguinte ou na verdade ignoro o restante deste tempo ?
    obrigado desde já espero que possa me ajudar

    ResponderExcluir
  3. Olá, Roberto! No caso da anacruze solfejada, você pode fazer de dois modos: marcar apenas o tempo que está escrito, ou seja, já começar a marcar no final do compasso, começando do 1 no próximo; ou então, para não se perder, marcar normalmente os 2 tempos como se os 3/4 iniciais fossem pausa, cantando só a nota em questão. Convém notar que a anacruze corta o tempo ANTES da nota, e não depois. A "pausa" seria no começo da música, e não após a 1ª nota. Abs!

    ResponderExcluir
  4. Obrigado Joanna , me ajudou muito .
    Acabei de ler todos seus artigos, parabéns !

    Que tal algum artigo sobre exercícios de percepção?
    Obrigado

    ResponderExcluir
  5. Olá Joanna,

    Antes de tudo parabéns pela iniciativa de colocar os ensinamentos de teoria musical da forma e com o carinho que está passando.

    Estou iniciando o estudo do Violino e sou totalmente cru na teoria musical, o método de aprendizagem está sendo o Suzuki, porém meu professor está iniciando a teoria. Acredito que seus ensinamentos seja universal, porém pergunto: as partituras que está disponibilizando também serviria para a execução no violino?

    grande abraço

    Nelson Costa

    ResponderExcluir
  6. Nelson, obrigada pelos elogios. Quanto às partituras, tem duas coisas importantes que devem ser consideradas:
    1) o tom da música - deve ser o mesmo do seu instrumento, ou então você deve poder transpor. Geralmente as partituras são em C (Dó) então se seu violino estiver afinado em C não haverá problema.
    2) a extensão do seu instrumento - não adianta tentar tocar uma música que tem notas acima ou abaixo do alcançado pelo seu instrumento, pois ela vai ficar incompleta. Cuide primeiramente em qual clave (Sol ou Fá) a música está escrita, depois veja qual a nota mais grave e qual a mais aguda, para ver se o violino tem essa extensão.
    Depois de verificar isso, é só sair tocando, hehe..

    ResponderExcluir
  7. Olá, amigos!!!Tudo bem?
    Estou iniciando meus estudos com trombone de vara em si bemol
    A minha grande dificuldade e o solfejo, voce pode me ajudar a encontrar este recurso. Como devo fazer?
    Obrigado, aguardo seu contato

    ResponderExcluir
  8. Olá! Para solfejo iniciante, indico a você o método Bona. Basicamente, você melhora praticando, então leia o solfejo rítmico (somente o tempo de duração das notas sem seus nomes e alturas, utilizando a sílaba "ta" para cada nota), depois o solfejo rezado (somente os nomes e duração das notas sam cantar suas alturas), e por fim o solfejo melódico (cantando as notas nas durações e alturas corretas). Pode usar um piano/teclado para auxiliar no melódico. Bons estudos!

    ResponderExcluir
  9. Musicistas precisam ser autênticos? Crie, não copie? Você é muito insegura mocinha... como se o Andamento fosse invenção sua ou coisa do tipo, pegar um conhecimento secular e se apropriar é muito esquisito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Tiago. Infelizmente esta foi a única maneira de evitar o stress que eu vinha passando no outro blog que eu tinha antes (do wordpress). Não tinha nada contra as pessoas copiarem e postarem nos seus próprios blogs o conteúdo todo (ctrl c/ctrl v mesmo), só que este trabalho todo está com minhas opiniões e meu modo de entender/explicar, então o mínimo é vc publicar junto o meu nome e endereço de blog (o que as pessoas não faziam, apesar dos meus pedidos). Então, sim. Eu bloqueei o conteúdo para cópias. Fazer o quê se tem muita gente que não dá a mínima pro esforço dos outros? Abraços!

      Excluir
  10. Joana

    Estou estudando umas valsas de Beethoven. A indicação do andamento é "mínima pontuada = 180". Mas fica tão lento e estrando fazer "semínima = 60". A lógica é dividir mesmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Eduardo. Bom, o certo é tocar como se mostra a partitura, o que você divide é a fórmula de compasso (simples, composto). No caso do Beethoven, mínima pontuada a 180 rpm indica que a cada 3 semínimas (fazendo a divisão) nós teremos tocado 180 batidas. Isso num compasso 4/4, que nos dá 4 semínimas, não fecha com o cálculo de divisão por três. Simplificando: você pode sim fazer a divisão, mas apenas da nota que indica o valor do compasso, não da velocidade da música (se for um composto, facilita muito). Espero ter ajudado! Bons estudos!

      Excluir
  11. me ajudou muito
    só tem bloquear e tecla PrtSc senão dá para copiar todo o texto meu amigo!
    aquela mensagem de sem cérebro é só para amador.
    Valeu!

    ResponderExcluir
  12. Muito bom o seu blog. Parabéns pelo trabalho e por compartilhar o seu conhecimento com uma didática que atende principalmente os iniciantes. Estou indicando o seu trabalho aos colegas e sempre que posso dou uma passadinha por aqui para aprender e recapitular os seus ensinamentos. Um abração...

    ResponderExcluir

Curta o Teoria Musical no Facebook!
https://www.facebook.com/TeoriaMusical

Visite o site do Teoria Musical!
http://joannabraccini.wix.com/teoriamusical