Professional music notation services, only on FIVERR!

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Capítulo 11 - GRAFIA: ESCRITA MUSICAL

ESCRITA MUSICAL

Após tantos capítulos dedicados ao raciocínio matemático, optei por escrever um tema mais leve desta vez, de forma a dar tempo de que as mentes assimilem todo conhecimento que estão recebendo. Falaremos então sobre a grafia musical: como escrever as notas na pauta de forma correta e limpa.

CABEÇA DA FIGURA MUSICAL

Em casos específicos, veremos a figura musical desenhada de maneira diferenciada. Quando a música é impressa, a cabeça da nota pode ter sua forma oval ou redonda:

Já na representação de sons harmônicos, a forma de losango pode representar a cabeça das figuras:

Quando a escrita se referir a instrumentos cuja altura for sempre definida ou inalterada, como a partitura para bateria, a cabeça das figuras musicais pode tem as seguintes formas.

Essas diferenças se dão em função de sempre buscar a facilidade da leitura.

HASTES DAS FIGURAS MUSICAIS

As hastes são sempre verticais e perpendiculares ao pentagrama. Nunca devem estar inclinadas.

No caso da cabeça da figura ficar abaixo da haste, ela deve sempre ser escrita à direita da cabeça da figura. No caso da cabeça da figura ficar acima da haste esta deve sempre ser escrita à esquerda da cabeça da figura. Portanto, as figuras musicais que representam notas musicais não podem parecer-se jamais com o número 6, tampouco com o número 9.

COMPRIMENTO DAS HASTES

O comprimento da haste é de aproximadamente o dobro da cabeça da nota. Não deve ser longo, nem curto demais.



A exceção é quando a figura está anotada além da 1ª linha suplementar superior ou inferior. Nestes casos a haste se prolonga até tocar a terceira linha do pentagrama.

POSIÇÃO DAS FIGURAS

As figuras das notas musicais são escritas com a haste voltada para cima, quando estiverem posicionadas das linhas suplementares inferiores até o 2 º espaço do pentagrama:



Assim, as figuras das notas musicais são escritas com a haste voltada para baixo quando estiverem posicionadas das linhas suplementares superiores até o 3 º espaço do pentagrama:



As figuras das notas musicais podem ser escritas com a haste para cima ou para baixo somente na terceira linha do pentagrama, de acordo com a seqüência das notas vizinhas, ou então para facilitar a leitura:

No caso de acordes, a direção da haste é sempre para dentro do pentagrama.

Mas para esta regra há uma exceção: Quando num mesmo pentagrama forem representados dois instrumentos ou vozes, então as hastes são voltadas para fora do pentagrama.

COLCHETES

Os colchetes, também chamados de bandeirolas, quando as figuras os possuem , devem sempre estar voltados para a direita. Na música impressa ele é ondulado.



Na música manuscrita é comum encontrar os colchetes retos e oblíquos à haste.

POSIÇÃO DO TRAÇO DE UNIÃO DOS COLCHETES

As notas sucessivas com igual número de colchetes podem ter a ponta da haste de todos eles unidos por traços que representem o número de colchetes que possuam.



A direção do traço é horizontal:

  • Quando as notas têm a mesma altura.



  • Quando um grupo de notas começa e termina com notas de mesma altura.



  • Quando, num grupo de três notas com alturas diferentes, a do meio é mais baixa ou mais alta



Nos casos onde as notas se sucedem em alturas consecutivamente crescentes ou decrescentes, o traço acompanha a direção de escrita das notas.



Quando as notas de um grupo seguem direções diferentes, a primeira e a última determinam a orientação do traço.



Quando há duas notas conectadas por seus colchetes, a direção das hastes também é orientada pela nota mais distante da 3ª linha do pentagrama.



Se há três ou mais notas unidas pelos colchetes, a maioria, acima ou abaixo da 3ª linha do pentagrama, determina a direção das hastes.



Outra maneira de identificar a direção das hastes é pela nota mais distante da 3ª linha do pentagrama.



Não havendo maioria e se as notas forem eqüidistantes da 3ª linha do pentagrama, a preferência é direcioná-las para baixo.

4 comentários:

  1. Querida Joana,
    Fiquei encantada com o nível do material aqui postado: linguagem clara e objetiva e de fácil compreensão!
    Baixei todos os capítulos pois o assunto é de grande interesse para mim pois dou aula de teoria para crianças entre 7 e 13 anos.
    A propósito, observo que os livros de teoria ( trabalho com o Maria Luiza Priolli e Virgínia Fiusa) são paupérrimos em exercícios, por isso estarei enviando e-mail solicitando os seus...
    Parabéns!!
    Muitíssimo obrigado por disponibilizar essa preciosidade a todos!!
    Ruth Lessa

    ResponderExcluir
  2. Muito boa essa postagem, parabés, vlw!

    ResponderExcluir

Curta o Teoria Musical no Facebook!
https://www.facebook.com/TeoriaMusical

Visite o site do Teoria Musical!
http://joannabraccini.wix.com/teoriamusical