Professional music notation services, only on FIVERR!

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Capítulo 7 - SINAIS DE ALTERAÇÃO

Olá! Bem-vindo à nossa sétima aula de teoria musical grátis! Quer aprender de forma simples e prática o que são acidentes e enarmonia? Preste atenção!

Capítulo 7:

SINAIS DE ALTERAÇÃO


Alterações ou acidentes são sinais que servem para modificar a altura de uma nota sem mudar seu nome. Servem para elevar ou baixar a altura de um tom ou semitom. Na escrita musical, os acidentes sempre são colocados na frente da nota.


Os acidentes são:


Sustenido – Eleva a altura da nota em um semitom (1/2 tom).



Dobrado Sustenido – Eleva a altura da nota em dois semitons (1 tom).



Bemol – Baixa a altura da nota em um semitom (1/2 tom).


Dobrado Bemol – Baixa a altura da nota em dois semitons (1 tom).



Bequadro – Anula qualquer um dos acidentes anteriores, fazendo a nota voltar à sua altura original.


Usando-se um sustenido ou bemol, também se anula o dobrado sustenido ou dobrado bemol.



Exemplos:


ALTERAÇÕES ASCENDENTES E DESCENDENTES


As Alterações Ascendentes são o sustenido e o dobrado sustenido.


As Alterações Descendentes são o bemol e o dobrado bemol.


Quando a primeira nota está alterada com sustenido e a segunda com dobrado sustenido, a última é elevada somente meio tom, pois um acidente anula sempre o anterior.


Assim, também quando a primeira nota está bemolizada, o efeito do dobrado bemol é de apenas 1 semitom descendente.



O bequadro, além de fazer a nota voltar ao seu estado natural, tem ainda duas funções: após o sustenido ou o dobrado sustenido, ele é uma alteração descendente. Depois do bemol ou do dobrado bemol, o efeito é ascendente. Isso, claro, apenas porque ele anula o acidente em ação e faz com que a nota volte ao seu estado natural.


O bemol também terá efeito ascendente, quando colocado depois de um dobrado bemol.

12

O sustenido terá efeito descendente, quando colocado depois de um dobrado sustenido.

11

EMPREGO DOS ACIDENTES


Os sinais de alteração podem ser empregados de três maneiras: fixos, ocorrentes e de precaução.

Acidentes Fixos – São colocados junto à clave e seu efeito atinge todas as notas de mesmo nome. Exemplo:



Os acidentes fixos seguem sempre a mesma ordem de aparecimento. A este conjunto de acidentes fixos chamamos Armadura de Clave:


Acidentes Ocorrentes – São colocados no decorrer de um trecho musical e seu efeito atinge somente as notas de mesmo nome que estiverem dentro do mesmo compasso após o acidente. Exemplo:



O efeito dos acidentes ocorrentes só atinge o compasso seguinte quando a nota alterada estiver unida por ligadura à primeira nota do compasso seguinte, desde que ambas sejam de mesma altura. Exemplo:



Acidente de Precaução – É usado apenas para evitar um provável erro de leitura por parte do intérprete. Exemplo:



NOTAS ENARMÔNICAS


Duas ou três notas são chamadas de enarmônicas, enharmônicas, ou en-harmônicas, quando têm a mesma altura e nomes diferentes. Exemplo:


Nos instrumentos de afinação fixa, como o piano, as notas têm a mesma altura e são tocadas na mesma tecla. Nos instrumentos de afinação mutável, como o trompete, duas notas enarmônicas não têm rigorosamente a mesma altura, pois há uma diferença quase imperceptível entre elas. Essa diferença chama-se coma.


Gostou do conteúdo? Então se inscreva na minha newsletter para receber uma notificação quando eu postar mais um capítulo! Até mais!

10 comentários:

  1. Ju,
    Você sempre vai além. Muito bom, claro e compreensível; quem quer aprender está diante de um tesouro na net, sempre "cheia" de coisas vasias. Você, ao contrário, traz cultura e a torna acessível. Parabéns, anjo. Continua sempre.
    Um beijo enorme

    ResponderExcluir
  2. Se uma nota é duas vezes alterada(2x # ou b) se colocarmos posteriormente um acidente somente, este deve vir acompanhado de um bequadro, indicando a neutralizaçao de um dos dois acidentes musicais...

    ResponderExcluir
  3. Creio que sua explicação ficou confusa, Gustavo. Poderia ser mais claro? Pelo que entendi, você diz que, por exemplo, um bemol não anularia um sustenido se fosse colocado após ele? Até onde sei, um acidente anula ou complementa o anterior, sim. Se você tem uma nota aumentada de sustenido, e esta é, depois, aumentada novamente (o que torna o acidente um dobrado sustenido) você pode baixar a nota colocando um bemol ou dobrado bemol, sim. Mas isso não seria prático e confundiria o musicista na leitura. Para isso criou-se o bequadro, que apenas anula os acidentes.

    ResponderExcluir
  4. aldo antonio da silva19 de fevereiro de 2010 15:13

    parabens avocê ( s) que criaram este site que leva conhecimento a todos que se enteressa pela musica a mais sublime das artes exemplo que deveria ser seguido por outros site mais uma vez parabens

    ResponderExcluir
  5. Não entendi mt bem, qr dizer q o bemol depois de um dobrado sustenido funciona igual a um bequadrado??

    ResponderExcluir
  6. Dudel, na verdade não. O "bequadro" anula qualquer acidente, seja ele simples ou dobrado. Se após um dobrado sustenido você aplicar o bemol, a nota a seguir terá, a partir da altura natural, um semitom a menos. Ou seja: Qualquer que seja o acidente colocado antes, o que vir depois anula-o e passa a ser o único válido. No seu exemplo, a nota será bemolizada, não mais estando sob efeito do dobrado sustenido.

    ResponderExcluir

Curta o Teoria Musical no Facebook!
https://www.facebook.com/TeoriaMusical

Visite o site do Teoria Musical!
http://joannabraccini.wix.com/teoriamusical